03/09/2015
Porque sua empresa precisa de uma boa estratégia de conteúdo?
             Segundo Vaz (2011), o desafio das empresas e agências é fazer com que essas quatro disciplinas, marketing, tecnologia, design e conteúdo, que parecem tão distintas, integrem-se perfeitamente em um veículo que ainda não é totalmente dominado pela maioria das pessoas.

             Logo, um trabalho focado em tecnologia poderá muitas vezes parecer que não foi feito para humanos, tem uma aparência quadrada, parece mais feito para robôs. O mesmo pode-se dizer de um trabalho feito exclusivamente no marketing, onde o mesmo pode vir a apresentar a falta de modernidade e de aplicações que facilitem a matéria.

             Assim, o não conhecimento da maneira como uma determinada funcionalidade poderá ser desenvolvida pode levar ao fracasso do projeto. Todavia é preciso que o marketing e a tecnologia encontrem a medida certa para realizar um trabalho integrado. Porém, não se deve esquecer de algo não menos importante que é o conteúdo.
Assim Vaz (2011) esclarece que:
 
O conteúdo é o recheio do bolo. Sem ele não há bolo que se sustente. A internet é um ambiente em que o conteúdo – leia-se informação transformada em inteligência pela intervenção e interpretação humanas – é o principal motor. Vivemos na era da informação (ou do compartilhamento de informações) e não é à toa. Conteúdo compartilhado precisa ser gerado e reconstruído. Esse é o papel do conteúdo no desenvolvimento da plataforma. E, por fim tudo isso precisa ser traduzido para a linguagem que o consumidor entenda. Esse é o papel da interface. Como já disse, a tradutora entre o mundo dos seres humanos e a “magia” que acontece dentro do computador. Esse é o papel do design, da interface a ser produzida (VAZ, 2011, p. 524).
           
             No mundo virtual do século 21, na internet pós-bolha, a perfeita integração das ações é o que fará a diferença entre a evidência e o esquecimento, e também entre o gasto e investimento. Marketing, tecnologia, conteúdo e design são os protagonistas, não só de uma boa estratégia de marketing digital, mas de todos os seus desdobramentos também.

             A necessidade de uma empresa ou prestador de serviço é poder se comunicar com seu cliente, dessa forma a publicidade veio como um caminho de comunicação parcial que visava persuadir os consumidores.

             Atualmente em decorrência ao excesso de informações que as pessoas têm, devido ao surgimento de novas marcas e a atualização constantes de produtos, o desafio passou a ser persuadir, chamar a atenção, desenvolver uma boa relação com o cliente, ter produtos e serviços inovadores e saber se comunicar com o seu público.
 
            A comunicação está muito ligada com as ferramentas de busca, já que o sujeito que está a procurar de algo, em fase de pesquisa, vai utilizar através dos buscadores encontrar o que deseja. Dessa forma os Okada e Souza (2011) abarcam sobre conceitos em relação às buscas:
 
SEM - Search Engine Marketing  significa  Marketing  de  Otimização  de  Buscas,  e  diz respeito ao processo de utilização  de sites de busca na web para promover um determinado website, aumentando seu tráfego e fidelidade. O SEM envolve ações internas (on page) e ações externas (off page).  As ações on page -  internas de  otimização  -  são  denominadas  SEO- Search  Engine Otimization  e englobam técnicas de manipulação de conteúdo e estruturas de páginas do  site (OKADA; SOUZA, 2011, p. 9).
 
             Os conjuntos de técnicas que servem para aprimorar as buscas na internet auxiliam de forma que o público terá maior facilidade para encontrar e ver a empresa ou produto que tem maiores ferramentas em relação a busca, deixando a marca sempre em destaque, consequentemente tendo maior visualizações.

             As técnicas de otimização dos conteúdos da página segundo permitem um melhor posicionamento do site em uma página de buscas, o que permite perceber a relevância da página, dessa forma o nome da empresa/produto/serviço.

            Com a internet hoje o cliente procura o que deseja, e vai encontrar através dos sites de busca, possibilitando navegar e conhecer diferentes redes. Para Turchi (2012) é na busca que reside uma das principais mudanças que vem ocorrendo, que é a inversão na forma de se fazer o Marketing, pois antigamente a empresa alcançava o consumidor por intermédio da mídia em massa. A televisão exercia quase que exclusivamente este papel, enquanto atualmente a empresa que deve ser encontrada pelo consumidor, o cliente agora vai até a empresa/produto.

             A comunicação passa a consentir a sua força persuasória para ser experiencial, abrindo a participação na construção de produtos e processos. Dessa forma o Marketing deve deixar de ver o consumidor como um alvo, mas mudar sua visão e tê-lo como um produtor de experiências e conteúdo.

             O compartilhamento de conteúdo é “rei”, a internet sem ele é apenas uma sequência de bits nulos, logo produzir conteúdo de qualidade exige que ele tenha ideias que mobilize toda a capacidade criativa e organizadora para construir um enunciado que transmita, com clareza e objetividade, uma mensagem que configure em um todo significado com a intenção de comunicar, colocando, assim, o emissor em contato com o receptor, da mesma maneira que o conteúdo é o ponto de conexão entre o conceito de uma marca e o consumidor.

             “Conteúdo é tudo aquilo que pode ser consumido como informação e que acrescenta valor para alguém. Informação pode ser oferecida como imagem, vídeo, texto, arquivo de som e as diversas derivações – screencasts, slidecasts, audiobooks etc.” (VAZ, 2011, p. 528).

             Sendo assim, o conteúdo é o principal responsável por gerar engajamento entre empresa e público alvo, pois, ele utiliza de técnicas e estratégias para despertar os gatilhos mentais que irão se incumbir de acordar no inconsciente dos consumidores as necessidades, interesses e desejos dos mesmo em consumir os produtos e serviços ofertados pelas empresas.

             Logo, é importante analisar o comportamento do consumidor para poder acertar na melhor estratégia de conteúdo capaz de realizar com efetividade os objetivos apresentados nos parágrafos anteriores.

Autor: Gregory Somenzari

Referência:

OKADA, I. S.; SOUZA, S. M. E. Estratégias de Marketing Digital na Era da Busca, Revista Brasileira de Marketing. São Paulo, v. 10, n. 1, p 46-72, jan./abr. 2011.
TURCHI, R. Sandra. Estratégias de Marketing Digital e E-Commerce. São Paulo: Editora Atlas S.A, 2012.
VAZ, R. Conrado. Os 8 Ps do marketing digital: o seu guia estratégico de marketing digital, 3. ed. São Paulo, Novatec Editora, 2011.
PUBLICIDADE
Rua Poços de Caldas, 230 - Jardim Alvorada
Maringá - Paraná
CEP: 87033-130